Sileno elogia escolha de João Campos para equipe de transição de Lula

Presidente do PSB-PE e deputado estadual eleito disse que o prefeito orgulha o Recife e Pernambuco e tem importantes contribuições a dar para o futuro do Brasil

Foto: Wesley D’Almeida

O deputado estadual eleito e presidente do PSB de Pernambuco, Sileno Guedes, celebrou a indicação do nome do prefeito do Recife, João Campos (PSB), para compor a equipe de transição de governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A informação foi divulgada pela imprensa ao longo desta terça-feira (8) e confirmada pelo presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, socialista que também compõe a lista de indicados juntamente com o ex-governador de São Paulo Márcio França (PSB).

“A indicação de João Campos para a equipe de transição do presidente Lula orgulha o povo do Recife e de Pernambuco. O prefeito vem fazendo uma gestão inovadora em nossa capital e agora dará suas contribuições para o futuro do Brasil”, destacou Sileno, que também aproveitou para tecer elogios a algumas diretrizes para a área social que estão sendo avaliadas pela equipe de transição, sob coordenação do vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB).

“Feliz também com os primeiros indicativos para a área social, que deve ter o Bolsa Família de volta, com R$ 600 mantidos, além de R$ 150 a mais por criança de 0 a 6 anos entre as famílias beneficiárias. É enxergando os mais vulneráveis que a gente vai diminuir as desigualdades”, comentou o dirigente.

09/11/2022 – Assessoria de Comunicação do PSB de Pernambuco

Paulo Câmara é anunciado na equipe de transição de Lula e Alckmin

Foto: Hélia Scheppa/Arquivo/SEI-PE

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), foi indicado, nesta quarta-feira (16), como um dos nomes da equipe de transição para o futuro Governo Lula. O anúncio foi feito pelo vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB).

Paulo vai compor o grupo de Transparência, Integridade e Controle, podendo compartilhar sua experiência como auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE) e como gestor que manteve o equilíbrio fiscal ao longo dos oito anos em que está à frente do Governo do Pernambuco.

16/11/2022 – Assessoria de Comunicação do PSB em Pernambuco

“Sensação de dever cumprido”, diz Paulo Câmara

Em entrevista à Rádio Clube AM, o governador Paulo Câmara (PSB) fez um balanço positivo da sua gestão. Ele disse que sua sucessora, a governadora eleita Raquel Lyra (PSDB), encontrará Pernambuco de pé, com as contas organizadas e obras em andamento para futuras entregas à população. Acompanhe:

Reprodução/Facebook

“Caixa-preta”

Eu tive a honra de participar do governo Eduardo Campos como secretário durante oito anos e, depois, há quase oito anos nós estamos à frente do Governo de Pernambuco. E eu me lembro que tão logo Eduardo assumiu, no dia 1º de janeiro de 2007, no dia 2 ele deu posse aos secretários e, no dia 3 de janeiro, ele me chamou junto com outros secretários e um dos pontos principais [da conversa] foi a criação de um grupo de trabalho e em 90 dias nós criamos o Portal da Transparência – Pernambuco não tinha Portal da Transparência. Então, nosso governo faz parte de uma escola que sempre colocou a transparência e as informações públicas à disposição de todos. As contas públicas, as ações do governo, tudo que a gente faz, tudo que a gente planeja, está disponível à população. São vários mecanismos que foram criados, não só o Portal da Transparência, mas a Lei de Acesso à Informação… Nós temos uma série de mecanismos que garantem não apenas o controle interno das nossas atividades ou controle externo, que abrange o Tribunal de Contas e a Assembleia Legislativa, mas também temos várias ferramentas para o controle social e nós nos orgulhamos disso.

 

Transparência

Pernambuco é um estado transparente, é um estado reconhecido por todo o Brasil por vários institutos que acompanham a transparência como um estado que realmente tem mecanismos eficientes para dar a informação. Na pandemia, nós éramos muito elogiados pela clareza dos dados que eram repassados à população e a todos que acompanhavam aquele período tão difícil. Então, eu não tenho dúvida que todas as informações do Governo de Pernambuco vão ser disponibilizadas à equipe de transição e a próxima governadora vai ter à sua disposição um estado equilibrado, que pagou suas contas, que não está atrasado em nada, que tem hoje o menor nível de endividamento da sua história, um estado que realmente está de pé e que está pronto para os desafios do futuro.

 

A derrota

O PSB vai ter o momento, tão logo acabe o nosso governo, de fazer avaliações em relação ao futuro, ao planejamento das próximas eleições. O que ficou muito claro para nós foi que houve um sentimento de mudança, um sentimento que foi prioritário e preponderante nesse primeiro turno aqui em Pernambuco, tanto é que nós não fomos para o segundo  turno. Mas foi uma eleição muito parelha, que tinha cinco candidatos muito competitivos, que qualquer um dos cinco poderia por poucos votos ter ido para o segundo  turno, o que mostra claramente que houve um desejo de renovação. Nós vamos [refletir] a partir disso também. Não é só nas vitórias que se tem os aprendizados. As derrotas também nos levam a isso.

 

O PSB

Nós temos hoje uma bancada importante de deputados estaduais eleitos. A maior bancada é do PSB. Nós temos também uma bancada importante de deputados federais, foram cinco deputados federais eleitos (em Pernambuco). Nós temos o maior número de prefeitos e prefeitas do estado de Pernambuco… Então, o PSB continua sendo uma força política importante para os próximos anos e nós vamos ajudar o partido a também estar forte para as próximas eleições.

 

Prioridade

Nós temos prioridades no Brasil como um todo já nas eleições de 2024 e uma das maiores é a reeleição, aqui, do prefeito João Campos, mas vamos cuidar também do Sertão, do Agreste, da Zona da Mata, de todas as nossas administrações, porque o PSB tem muitos serviços prestados a Pernambuco, não só no Governo do Estado, mas também nos municípios e nós vamos continuar ajudando Pernambuco. Ajudando agora não mais ocupando o Governo do Estado, mas contribuindo também para que a próxima governadora possa ter êxito nas suas ações.

 

PT e PSB

O presidente Lula vai governar esse país para todos os brasileiros. Com certeza vai ter uma tarefa muito grande de reconstrução do país. Muita coisa precisa ser consertada. Os últimos quatro anos foram de retrocessos. E ele vai ter um aliado importante, o ex-governador e agora vice-presidente eleito Geraldo Alckmin, que é do nosso partido. Lula e Alckmin vão ter uma responsabilidade muito grande de reconstruir esse país. O PSB está dentro desse projeto que independe de ocupações, independe de cargos. Lá atrás, eu fui um dos primeiros a defender essa aliança com o presidente Lula, porque nós entendíamos que era fundamental e era o que mais unia o campo progressista para vencer as eleições, e foi uma decisão acertada. Então, agora é trabalhar, independente de qualquer deliberação do presidente Lula, do vice-presidente Alckmin. Nós vamos ajudar o Brasil a ser reconstruído, independentemente de ocupar cargos ou não.

 

Futuro político

Eu nunca planejei muito minhas atividades, elas sempre aconteceram de maneira muito rápida, inclusive a minha candidatura ao Governo do Estado. Quem lembra ali do início do ano de 2014, eu era secretário do Estado, nunca tinha disputado nenhuma eleição e me coube essa missão de governar Pernambuco nos primeiros quatro anos (após a morte de Eduardo Campos) e depois na nossa reeleição. Então, a partir do momento que foi decidido por nós todos que era importante a continuidade do cargo até o final do mandato, a gente não pensou no futuro. Não vou dizer aqui que eu não disputo mais eleições, mas após ser governador de Pernambuco por oito anos, eu também tenho o direito de pensar e de planejar o meu futuro e nós vamos decidir no momento certo, no momento adequado. O que eu espero efetivamente é ter condições de trabalho, condições de continuar contribuindo, independentemente de disputar cargos.

 

Discrição

Cada pessoa, cada governo, tem a sua forma de se apresentar. Eu sempre tive a discrição e o senso de trabalhar muito na minha vida. E eu preservei isso. Governei Pernambuco durante esses com a forma que eu achava mais adequada. O meu estilo mais discreto resulta nesses comentários, de que a gente poderia ter feito uma comunicação melhor, de que a gente poderia ter aparecido mais no cenário nacional. Mas eu entendo que fiz o que foi possível diante do que passei, diante das crises que Pernambuco passou. Se formos olhar 2015/2016, foi a maior crise econômica que esse país já viu. Se nós formos olhar esses últimos quatro anos, foi um retrocesso, que culminou também com uma pandemia. Nós não tivemos tempo, realmente, para avançar mais em apresentações e comunicações. Nós tivemos que trabalhar e trabalhar muito, para não deixar Pernambuco atrasar compromisso com servidores, com fornecedores, ter nossas escolas funcionando. Pernambuco está de pé, tem uma gestão responsável. Vamos deixar para a nossa sucessora um estado arrumado, com recursos em caixa, com capacidade de investimento que nunca teve e o menor nível de endividamento da história. Saio com a sensação de dever cumprido diante de tudo que a gente viu acontecer com outros estados, e que nós não deixamos acontecer em Pernambuco. A situação fiscal está totalmente organizada, Pernambuco, diferentemente de vários estados do Brasil hoje, não depende de liminar da Justiça para pagar suas contas.

 

Oposição

Nós não vencemos as eleições (ao Governo de Pernambuco), então é normal que a partir do momento que nosso campo político não vence a eleição e vence uma candidata de oposição, nós façamos a oposição. Vamos ser observadores, evidentemente, fiscalizadores. Sabemos os limites que o Governo pode avançar, mas sabemos também que pode avançar e continuar avançando muito. É uma oposição com responsabilidade, uma oposição que contribui para a governança. Isso faz parte. O PSB vai ter essa responsabilidade com Pernambuco de apoiar aquilo que for importante para o povo de Pernambuco, mas também vai ter um olhar crítico naquilo que nós entendemos que possa estar indo na contramão dos interesses da população.

 

2024

Vamos iniciar um novo ciclo. Pode ter certeza que a partir das próximas semanas ou próximos meses voltam novamente todas as discussões sobre eleições municipais e isso faz parte desse processo, dessa dinâmica Brasil afora, e aqui em Pernambuco a prioridade é o PSB continuar trabalhando pela reeleição dos seus prefeitos, das suas prefeitas e dos quadros novos que vão surgir. É um partido que tem muita força em Pernambuco e vai querer continuar trabalhando também num nível municipal junto com seus parceiros. Aqui, no Recife, evidentemente que João Campos é candidato à reeleição. Está fazendo um trabalho importante, um trabalho necessário. João vai ter aí dois anos de oportunidades que eu não tive, que foi governar com um presidente aliado. E ele vai ter um presidente não apenas aliado, [mas] um presidente que sabe da importância de se fazer políticas públicas que cheguem a todos neste Nordeste brasileiro.

 

Transição

A gente vai passar todas as informações, tudo aquilo que precisa ser resolvido de imediato e as ações que podem ser continuadas no próximo governo. Mas nós vamos deixar também um conjunto de obras. Muitas delas eu gostaria, inclusive, de ter inaugurado ainda no nosso governo. No entanto, por uma série de motivos, vai ficar para o próximo, como estradas, abastecimento de água, saneamento básico e a construção de unidades de ressocialização. Vamos deixar um leque de conteúdos de obras públicas em andamento e tem importantes eixos das regiões de Pernambuco, que têm os recursos garantidos para sua finalização.

– Entrevista publicada originalmente pelo jornal Diario de Pernambuco em 09/11/2022

Encontro com lideranças prega unidade em torno da eleição de Lula

Cerca de 70 prefeitos e dezenas de vice-prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, ex-vereadores, deputados, deputados eleitos e outras lideranças da Frente Popular estiveram presentes em encontro suprapartidário nesta terça-feira (11), em Gravatá, no Agreste de Pernambuco. O objetivo foi mobilizar o time de Lula (PT) e Alckmin (PSB) para a construção de uma expressiva vitória no segundo turno, ampliando a votação da chapa em relação ao primeiro turno.

“O que nos une aqui é a eleição do presidente Lula”, ressaltou o deputado federal Danilo Cabral (PSB), ex-candidato da Frente Popular ao Governo de Pernambuco. “Neste momento, [estamos] juntos para fazer Lula presidente da República. É isso que vai nos unir. É isso que cada um aqui deve buscar. É isso que a gente tem que continuar construindo. É essa unidade em cima para que a gente possa construir um grande Brasil e um novo Pernambuco”, completou o parlamentar, que foi aplaudido de pé pelos presentes no encontro.

No mesmo sentido, o governador Paulo Câmara (PSB) ressaltou que, recentemente, esteve em São Paulo, juntamente com o senador Humberto Costa (PT), participando de reuniões políticas com Lula e disse que o sentimento da campanha é de que o Nordeste dará uma expressiva vitória ao petista. “O presidente Lula sabe que conta com o Nordeste, que conta com Pernambuco. Nós vamos ganhar esta eleição, mas o Nordeste vai ser o responsável pela eleição do presidente Lula. A palavra de ordem deve ser uma só: é democracia, é liberdade, mas é unidade em favor de Pernambuco e deste Brasil”, declarou.

Também discursaram no evento a vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos (PCdoB), o prefeito do Recife, João Campos (PSB), o senador Humberto Costa (PT), o suplente da senadora eleita Teresa Leitão (PT), Silvio Costa, a presidente da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), Ana Célia Farias, e o prefeito de Gravatá, anfitrião do evento, Padre Joselito.

11/10/2022 – Assessoria de Comunicação do PSB em Pernambuco*

*Com informações da assessoria de comunicação do deputado federal Danilo Cabral

Imagens: Wesley D’Almeida

“Eu tenho candidato a governador em Pernambuco: Danilo Cabral”, afirma Lula

“Eu vim aqui pra dizer uma frase: eu tenho candidato a governador em Pernambuco, o companheiro Danilo Cabral”, afirmou o ex-presidente Luiz  Inácio Lula da Silva (PT) no início de seu discurso, nesta quarta-feira (20), em ato público de pré-campanha em sua cidade natal, Garanhuns (PE).

Além de Lula e Danilo, estavam presentes no ato o pré-candidato a vice na chapa presidencial, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), a vice Luciana Santos (PCdoB), o prefeito do Recife, João Campos (PSB), e a pré-candidata ao Senado Teresa Leitão (PT).

Lula reforçou o acordo firmado entre seu partido e o PSB. “O PT tem um compromisso nacional com o PSB, quero cumprir o compromisso com o PSB e quero que o PSB cumpra com o PT. Se a gente não fizer assim, não criamos paz para construir uma coalizão capaz de ensinar a sociedade brasileira a conviver democraticamente na diversidade”, explicou.

O ex-presidente relembrou aos pernambucanos presentes as melhorias que levou ao Nordeste durante seu governo. “O povo pobre não pode ser pobre a vida inteira. Tenho orgulho de dizer que fui o presidente que mais trouxe universidades e escolas técnicas pra cá. O nordeste só aparecia no jornal como a região com maior número de analfabetos, maior evasão escolar, região com menos doutores do Brasil, menos mestres, mais mortalidade infantil. Nós mudamos isso”, discursou.

Para finalizar, o presidenciável assumiu um compromisso com os eleitores e afirmou que o presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), ataca o sistema eleitoral brasileiro por ter medo do voto do trabalhador.

“Esse país vai voltar a crescer, nós vamos abrasileirar o preço da gasolina, não vamos mais pagar em dólar. O povo brasileiro vai voltar a comer três vezes por dia, o povo pobre vai ter universidade, não vai mais ter garimpo invadido, não veremos mais essa quantidade de desmatamento, esse país pode ser civilizado de novo”, afirmou.

O pré-candidato a vice-presidente na chapa de Lula, Geraldo Alckmin, criticou Bolsonaro: “Ele não sabe governar, ele gosta do poder e de armas, não gosta do povo”.

O ex-governador reforçou a importância de Pernambuco para Lula, “Guaranhuns e Pernambuco não saíram do coração de Lula, essa cidade deu ao Brasil um estadista que não é fruto da herança política, nem de fortuna pessoal, mas da luta do povo”, e homenageou o falecido colega Eduardo Campos (PSB).

“Governador como eu, Campos sempre repetia que não podemos desistir do Brasil, política é esperança, por isso afirmo que Danilo Cabral traz esperança, com sua experiência no Executivo, no Legislativo e leva sua mensagem de forma democrática, ele conquista com argumentos, vamos juntos!”, finalizou.

Danilo comentou sobre a fragilidade democrática que o país vive e afirmou que todos os presentes no evento de hoje querem “defender o respeito aos diferentes, a liberdade de expressarem sua opinião e a necessidade de defender a democracia”.

“Não existe democracia quando temos a essa hora do dia 40 milhões de brasileiros sem saber o que vão comer, não há democracia quando muitas mulheres estão sendo vítimas só pela condição de ser mulher, não existe democracia quando 20, 30 milhões de brasileiros não tem emprego pra viver com dignidade, não existe democracia quando os povos indígenas não são respeitados, não existe democracia quando a imprensa é atacada”, expôs Danilo.

O pré-candidato ao Governo de Pernambuco afirmou que o time da Frente Popular mudou a vida dos pernambucanos. “Aqui não tem ajuntamento de projetos pessoais, aqui tem projeto político, tem um time que tá entrando em campo com história. Temos consciência do projeto político. Estou preparado para ser o governador de Pernambuco”, finalizou Danilo.

Para o prefeito do Recife, João Campos, a aliança entre Lula e Eduardo Campos permitiu que Pernambuco vivesse “seu melhor momento” no período em que o petista foi presidente do país e o líder do PSB governou o Estado. “Meu pai, Eduardo Campos, dizia que o Nordeste era visto por muitos como o problema do Brasil. Ele dizia, e nós vamos reafirmar isso, o Nordeste é parte da solução do Brasil e é daqui que vai sair essa vitória”, destacou.
O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, disse que o Brasil vai saber dar a resposta nas urnas “para voltar a ser feliz”. “Infelizmente, o país foi contaminado pelo ódio e pela intolerância. Lula e Alckmin representam o que a gente quer para o futuro, que é unidade do país em favor do nosso povo, da geração de emprego e renda e da qualidade de vida”, afirmou.
Antes do evento, Lula esteve em Caetés, onde visitou uma réplica da casa onde nasceu. Na época, o município não existia. Só depois se separaria de Garanhuns. Os pré-candidatos a presidentes e vice também visitaram no final do dia a cidade de Serra Talhada, no interior pernambucano, onde participaram de um ato público. Nesta quinta-feira terão agenda em Recife.
20/07/2022 – Assessoria de Comunicação do PSB
Imagens: Felipe Ribeiro e Wesley D’Almeida

Força de Pernambuco se destaca na abertura do Congresso Nacional do PSB

Durante o evento, resultados das gestões do partido no Estado, como os da área de educação, foram ressaltados

A força de Pernambuco foi destacada na abertura do XV Congresso Constituinte da Autorreforma do Partido Socialista Brasileiro, ocorrida na noite da quinta-feira (28), em Brasília. O ato político contou com a presença do ex-presidente Lula (PT), que é pré-candidato à Presidência da República, do ex-governador e pré-candidato a vice-presidente Geraldo Alckmin (PSB), de governadores, prefeitos, senadores, deputados federais e estaduais, vereadores e diversas lideranças políticas de todo o Brasil. Durante o evento, o deputado federal Danilo Cabral (PSB) foi saudado e aplaudido como pré-candidato ao Governo de Pernambuco.

Também estiveram na mesa, ao lado de Lula, Alckmin e do presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, que é vice-presidente nacional do PSB, o prefeito do Recife, João Campos (PSB), sua mãe, Renata Campos, e seu irmão, Miguel. O palco ainda foi composto por Danilo Cabral e pelos outros deputados federais do PSB de Pernambuco – Tadeu Alencar, Milton Coelho, Gonzaga Patriota e Felipe Carreras – e também pelo presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado estadual Eriberto Medeiros (PSB).

Pernambuco também foi citado como vitrine das gestões do PSB. O ex-governador Geraldo Alckmin, por exemplo, destacou o legado do partido na área da educação. “Estive há dois dias em um evento da sociedade civil, chamado Todos pela Educação. Das três experiências destacadas, duas foram de governos do PSB. Pernambuco, através do nosso governador Paulo Câmara, é campeão em escolas de tempo integral, na formação de professores, na diminuição da evasão escolar. E o Espírito Santo, com o governador Renato Casagrande, também premiado com um modelo extremamente bem-sucedido de educação integral”, ressaltou.

Convidado a falar em nome dos gestores municipais presentes no Congresso Nacional do PSB, o prefeito do Recife, João Campos, destacou a importância da autorreforma do partido como processo que aponta para o futuro e citou o trabalho histórico da sigla em torno de bandeiras importantes para a população. “O PSB, que, um dia, com doutor Arraes, com Francisco Julião, nas ligas camponesas, um dia na transformação da educação, por meio da educação integral, ainda tem muito a fazer pelo Brasil”, discursou.

HOMENAGEM – Entre um discurso e outro, o presidente Carlos Siqueira fez uma homenagem ao sindicalista pernambucano José Rodrigues, que faleceu em 2021. Liderança reconhecida por sua atuação em defesa dos direitos das famílias camponesas, José Rodrigues presidiu a Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado de Pernambuco (Fetape). O líder sindical nasceu em Bom Jardim (PE) e ingressou jovem no Movimento Sindical Rural. Na Fetape, ele é considerado fundamental no movimento durante o período da ditadura civil-militar. José Rodrigues era dirigente do sindicalismo socialista.

PROGRAMAÇÃO – Nesta sexta-feira (29), o Congresso Nacional do PSB tem continuidade, por meio das discussões de temas do documento final da autorreforma do partido. Um deles será dedicado à análise de conjuntura e os demais debaterão os cinco eixos temáticos da autorreforma do PSB: Reforma do Estado; Economia: Prosperidade, Igualdade e Sustentabilidade; Desenvolvimento Sustentável e Economia Verde; Políticas Sociais e Cidades Criativas; Socialismo Criativo, Democracia e o Partido que Queremos. Às 20h, o escritor, poeta e agitador cultural Antônio Carlos Queiroz fará uma aula-show sobre a Semana de Arte Moderna.

Já no sábado (30), às 8h30, será instalada a plenária para apresentação e deliberação dos relatórios dos grupos temáticos. Às 14h, terá início a sessão de encerramento, durante a qual serão eleitos os novos integrantes do diretório nacional, seguida pela reunião que elegerá a nova Comissão Executiva Nacional. A programação completa do evento está disponível aqui.

Imagens: PSB/Divulgação

29/04/2022 – Assessoria de Comunicação do PSB em Pernambuco

Secretária nacional de Mulheres do PSB participa de evento com Lula

Dora Pires, que também integra a Executiva estadual do PSB de Pernambuco, defendeu o nome do ex-presidente como caminho para enfrentar governo fascista e machista

Ricardo Stuckert/PT

A secretária nacional de Mulheres do PSB e integrante da Executiva estadual do PSB de Pernambuco, Dora Pires, participou, na quinta-feira (10), do evento “Mulheres com Lula para reconstruir o País”, em São Paulo. O ato reuniu líderes de partidos políticos, de centrais sindicais e movimentos sociais e parlamentares para reafirmar o compromisso das brasileiras com o projeto defendido pelo ex-presidente e pré-candidato à presidência da República, Luís Inácio Lula da Silva (PT), nas eleições deste ano.

Entre as principais demandas apresentadas, estão a urgência no enfrentamento ao atual projeto de governo e aos desmontes de políticas públicas que promoveram a mobilidade social de milhões de brasileiros e brasileiras. “O mais importante é estarmos unidas para enfrentar esse governo fascista e machista. As mulheres precisam avançar e achar um caminho por mais espaços de poder, mais oportunidade e menos violência, inclusive a violência política de gênero, que nos afasta desse lugar. E o senhor é esse caminho, é esse o norte. A esperança está de volta. A esperança é Lula”, afirmou Dora, dirigindo-se ao ex-presidente.

Durante sua fala, Lula destacou a importância que o eleitorado feminino – o maior do Brasil, com 53% de votantes -, terá nas eleições de outubro. O pré-candidato levou para o debate a urgência de haver uma nova Reforma Política com foco no estímulo à paridade de gênero. Ele relatou que, em viagem ao México, foi surpreendido com a presença de 52% de mulheres no parlamento.

“O que aconteceu no México é simples: eles elegeram um presidente, construíram um movimento e juntaram todo mundo em volta de uma bandeira e conseguiram eleger uma maioria de gente que priorizou a paridade. E como vamos fazer essa paridade chegar ao Brasil? Por meio de uma proposta de reforma política que já garanta uma paridade, porque senão vamos passar o resto da vida nos queixando. E para a gente conseguir fazer a mudança na cabeça das pessoas é preciso saber que não dá pra votar apenas para presidente, mas votar em parlamentares para construir a maioria para fazer a mudança que queremos no Brasil”, conclamou.

11/03/2022 – Assessoria de Comunicação do PSB em Pernambuco*

*Com informações da Secretaria Nacional de Mulheres do PSB